a revolução da mídia

27 06 2007
Anúncios




As tags se encaixaram!

8 05 2007

Gabriela Nardy é uma das colaboradoras no modelo web 2.0. Se você perguntar se a conheço pessoalmente, vou dizer que não, mas me identifiquei com os seus tags e estilo de redação: um conteúdo rico “embutido” em poucas linhas, dentro do tema comunicação. Segue o texto publicado no blog peripecia.wordpress.com.Obrigado e seja bem-vinda.

Faça você mesmoA Comunicação está numa nova fase. Já faz algum tempo que a mídia tradicional vem sendo suplantada por um movimento enorme, mas que só recentemente descobriu a sua força: a sociedade. A internet criou a possibilidade de cada indivíduo ter seu espaço na rede, o que proporcionou uma comunicação muito mais flexível e interativa, possibilidade que nenhum dos grandes veículos de comunicação jamais concedeu. Com as diversas ferramentas da Web 2.0, como blogs, fotologs, wikis, podcasts, e diversos websites de jornalismo cidadão, como o fenômeno mundial OhmyNews e o tupiniquim overmundo, cada pessoa tem a chance de contar fatos, histórias, emitir opinião, realizar trabalho jornalístico, e o que mais ela puder imaginar, sem necessitar do aval de ninguém. Quebra-se assim o monopólio dos jornais – e jornalistas – em darem a notícia. Agora não há mais informação escondida, um número limitado de pontos de vista ou algum detentor dos meios de comunicação. Vivemos no momento apelidado de “we media” (nós somos a mídia), acompanhado do slogan “do it yourself” (faça você mesmo). Essa é a nova tendência, e é a isso que as tradicionais empresas de mídia terão que se adaptar se quiserem sobreviver às próximas décadas.