Social Currency 2012 é fantástico!

8 12 2012




o cenário 2011 da mídia social

14 11 2011

Vale a pena visitar o Search Engine Journal e pesquisar os demais infográficos. Obtenha o material em formato PDF aqui.

<The Growth of Social Media: An Infographic
Source: SEJ





acredito e respeito o conteúdo deste slideshare: SMO x SEO

10 04 2011




um bom cenário das mídias sociais nas empresas

19 06 2010

As 302 companhias respondentes à pesquisa “Mídias sociais nas empresas”, realizada pela Deloitte Touche Tohmatsu, trouxeram um cenário bem aderente ao que tenho observado e vivido em projetos pelo mercado. E por esta razão, eu pincei algumas informações muito relevantes para entender o momento das mídias sociais no Brasil.

Serviços, varejo, bens de consumo, transporte, tecnologia, mídia e telecomunicações respondem por 77% das empresas que utilizam e/ou monitoram mídiais sociais, fato indiscutível se analisarmos as campanhas que mais ganharam notoriedade nos últimos anos.

Um dos pontos interessantes da pesquisa foi a geração de um ranking das iniciativas das empresas em mídias sociais:

  1. Ações de marketing e divulgação de produtos o serviços (83%)
  2. Monitoramento da marca ou mercado (71%)
  3. Vendas ou captura de oportunidades (46%)
  4. Suporte ao cliente, fornecedores ou parceiros de negócio (43%)
  5. Gestão do conhecimento (40%)
  6. Identificação de talentos para contratação (25%)
  7. Integração interna ou suporte a equipes (23%)
  8. Desenvolvimento de produtos ou inovação por meio de colaboração (17%)
  9. Outros (9%)

“Se isolarmos as empresas que usam mídias sociais ativamente e, ao mesmo tempo, não monitoram a rede, nota-se que 29% delas se encaixam nesta situação. Isto é uma forte evidência de que as empresas podem ter adotado as mídiais sociais seguindo a moda ou sem se preocupar com as informações provenientes do mercado”, conclui a pesquisa.

E por que as empresas monitoram as mídias sociais?

  1. Busca por um ou mais benefícios prometidos [pelas mídias sociais] (54%)
  2. Repercussão dada pela imprensa e nas próprias mídias sociais sobre o tema (35%)
  3. Reclamações sobre a empresa feitas por clientes nas mídias sociais (8%)
  4. Uso por concorrentes (4%)

Qual o objetivo ao utilizarem as mídias sociais? [top 10]

  1. Aumentar a reputação da marca (85%)
  2. Gerar mais marketing boca-a-boca (82%)
  3. Criar vantagem competitiva (59%)
  4. Aumentar a fidelidade do cliente (57%)
  5. Aumentar as vendas (55%)
  6. Inovar o modelo de negócios (53%)
  7. Trazer idéias de fora da empresa (50%)
  8. Melhorar o relacionamento com parceiros de negócios (43%)
  9. Potencializar o sucesso de novos produtos (41%)
  10. Melhorar a qualidade do suporte ao cliente (38%)

Como as empresas mensuram as iniciativas de mídias sociais? [top 10]

  1. Número de usuários, usuários ativos, visitantes ou visitantes recorrentes (71%)
  2. Visualização de páginas (63%)
  3. Frequência de visitas (59%)
  4. Tempo de permanência no site (52%)
  5. Taxa de crescimento de usuários (49%)
  6. Número de pessoas que enviam e-mail ou mensagens (48%)
  7. Frequência de postagens (45%)
  8. Citações ou links em outros sites (41%)
  9. Aumento de número de buscas por sua empresa (40%)
  10. Número de pessoas que recomendam sua empresa (32%)

Mas se as mídias sociais parecem ser a bola da vez, por que as empresas impedem o sucesso de seu uso? [top 10]

  1. Falta de tempo para gerenciar mídias sociais ou comunidades (49%)
  2. Dificuldade para fazer com que as pessoas participem (38%)
  3. Falta de conhecimento em gestão de mídias sociais (31%)
  4. Dificuldade para fazer com que as pessoas continuem usando e se relacionando (25%)
  5. Dificuldade para atrair usuários (24%)
  6. Dificuldade para encontrar pessoas com perfil e qualificadas para tocar as iniciativas (24%)
  7. Obtenção de dinheiro para continuar investindo em melhorias (23%)
  8. Relutância dos gestores em compartilhar informação (21%)
  9. Falta de compromentimento da alta liderança da empresa (14%)
  10. Não aplicável (12%)

Foi realmente gratificante ver a blocagem dos temas de forma tão organizada, porém o mercado mostra-se bastante volátil ainda e, certamente, os resultados sofrerão alterações, à medida que a maturidade fincar sua bandeira nas empresas.





marketing to the social web

18 11 2009




Twestival 2009 SP vale o seu “retwit”

5 09 2009

twestival

O ser humano, por natureza, tem o costume de pensar muito, expressar suas idéias matutadas na mesma proporção, porém, infelizmente são poucos aqueles que transformam as boas intenções em atitudes. Por esta razão, eu gradualmente fui sendo atraído pelo projeto Twestival, a união de twitteiros em prol de uma causa. Se a proposta é ajudar, de minha parte, o mínimo que eu poderia fazer é divulgar o evento. Dar o meu retwit. Decidi fazer isso batendo um papo com Fernando Souza, responsável pelo Twestival São Paulo e editor do blog Twitter Brasil.

fernandosouzaQuando você resolveu adotar a causa Twestival SP? Qual o critério para apoiar a entidade local?

Fui convidado pelos idealizadores em janeiro deste ano, devido ao meu envolvimento com o Twitter e dada a visibilidade do blog Twitter Brasil. A ONG escolhida foi a Doutores da Alegria por conhecer e confiar no trabalho e dedicação deles, que atendem, principalmente, o público infantil.

Como é organizar um evento de forma colaborativa, tendo o twitter como mídia tema?

Eu, como organizador, do evento venho mobilizando algumas pessoas para auxiliar na execução do evento e, conseqüentemente , na captação de recursos. Dessa forma estabeleço uma equipe de apoiadores para que tenhamos no final um evento agradável a todos e o resultado final que é a mobilização de pessoas em prol de uma causa.

Quais foram os resultados de 2008?

Em 2008 o evento foi realizado apenas em Londres, porém ainda sem o titulo “Twestival”, onde conseguiram reunir aproximadamente 300 pessoas. Era apenas um evento onde a comunidade local do Twitter pudesse se encontrar, assim como os tantos NOBs (NerdsOnBeer). Na versão de fevereiro de 2009, o Twestival Global, em São Paulo, reuniu mais de 400 pessoas e arrecadou R$ 2.879,50. Porém, para a produção do evento, foi feito um investimento de R$ 2.216,50. O restante, R$ 683,00, foi doado para a ONG Charity:Water.

Além de participar do evento e divulgar, como as pessoas podem ajudar?

Colocamos um post no dia 03 (setembro), falando exatamente sobre a doação. Todos podem doar via PagSeguro. Estamos esperando cerca de 500 pessoas nesta edição. Se cada um doar R$ 10,00 teremos um valor significativo . O evento será no Espaço PIX/Gafanhoto onde estaremos efetuando a venda de camisetas cuja renda será revertida em prol da ONG. É bacana ressaltar que a entidade escolhida, Doutores da alegria, desde 1991, já visitou mais de 650 mil crianças e adolescentes hospitalizados, atingindo também cerca de 700 mil familiares, e envolvendo mais de 15 mil profissionais de saúde.

Se você tem alguma sugestão para ajudar o Twestival nesta edição e nas próximas, deixe o seu comentário.






como clientes e agências podem trabalhar juntos na mídia social

18 06 2009




profissional de comunicação e blogueiros podem melhorar a oferta do cliente?twi

3 06 2009

3550083620_a3162c0e87_o

Sou do tempo em que o cliente contratava uma agência de comunicação para divulgar o lançamento de um produto e, por mais que ele fosse bom, alguma opinião de valor a gente tinha para contribuir, porém sem muito espaço ou até boa vontade pelo lado do ouvinte. Quando surgia uma brecha para comentários era aberto e não estavam alinhados com as expectativas dos empresários, eu tinha a nítida impressão que eles me viam como um elemento do time adversário.

Hoje, graças à evolução da comunicação e da mente mais aberta do mundo corporativo, eu consigo, além de palpitar, colaborar efetivamente na melhoria da oferta. Me refiro aos projetos onde proponho de antemão a participação dos beta testers, aqueles profissionais com formações diversas, mas experts em determinados assuntos, muitos autodidatas e cobertos de méritos.

O caso mais recente aconteceu no lançamento da Drimio. Como toda start-up, os executivos se viram pressionados por prazos e resultados. Fiquei feliz em convencê-los de que a rede social ainda tinha uma etapa a percorrer. Não havia atalhos para atender aos mínimos requisitos de uma comunidade tão exigente e focada em marcas. Resultado: o projeto atrasou alguns meses em função de uma mudança nos planos, porém o benefício foi sentido logo no lançamento. Segundo Salomão Casas, idealizador da Drimio, 98% dos comentários foram positivos nesta primeira fase, sendo que as críticas foram ouvidas atentamente no sentido da empresa buscar as melhorias propostas.

3550182018_36d6e890b9_b

Depois do teste feito pelos experts, mais 200 participantes experimentaram e deram suas opiniões a respeito da Drimio. Paralelamente a essa atividade, a rede contou com uma pesquisa de percepção realizada pela Pólvora Comunicação para levantar o que os usuários esperam de uma rede social de marcas.

A fase de beta teste é muito comum em projetos tecnológicos que asseguram a redução do risco, porém não o elimina. Assim também funciona nos projetos de mídia social, até porque nessa arena os colaboradores contribuem de forma ativa na melhoria de um produto ou serviço. Por parte dos empresários, a resposta deve ser rápida e sob medida. E assim eles têm se esforçado para proceder:

drimio1

drimio2

drimio3drimio4

Ontem a Drimio realizou um #NOB em Joinville (SC) para continuar ouvindo as pessoas, desta vez, pessoalmente. Elogios e críticas seguiram nas conversas e assim devem continuar, afinal, esse é o karma ou a benção do “eterno beta”, certo?

3590011251_d0e55440b4_b





métricas em mídias sociais

13 03 2009