mídias sociais provam o retorno do investimento com a vitória de Obama

5 11 2008

www.eleicoesamericanas.complacar-eleicoes-americanas

Quem vive inserido nas mídias sociais descobre um novo mundo e fala com muita excitação sobre as descobertas e resultados em rodas de conversas. Por outro lado, muitos dos que ouvem, nos enxergam com doses diferentes de preconceito, justamente por continuarem numa cultura mais tradicional, porém sem tanta flexibilidade.

Pois bem, a vitória de Obama, o 44o. presidente dos EUA, o primeiro negro a assumir a Casa Branca, rompeu vários preconceitos até então. O maior de todos eles, na minha opinião, foi associar a postura dos democratas, às mídias sociais, no momento em que procuraram entender os anseios da população norte-americana e estabelecer o diálogo.

Foi a vitória do diálogo versus a imagem dura e impositora dos republicanos. Representa hoje o maior caso de sucesso das mídias sociais, reconhecido publicamente pelos meios mais tradicionais de comunicação. Recentemente, num painel mediado por Monica Waldwogel sobre a estratégia da campanha de Obama na Globo News, ganharam destaque:

Youtube: antigamente os comentaristas políticos escreviam seus pontos de vista sobre determinados fatos e os leitores apenas ecoavam em suas conversas. Hoje, com o Youtube e demais comunidades que compartilham vídeos, as próprias pessoas tiram suas conclusões sobre os fatos. E,em caso de dúvidas, assistem repetidas vezes até tirarem suas próprias conclusões.

Engajamento dos hubs: outra postura ressaltada foi o empenho dos “hubs sociais” em buscar a vitória desde o primeiro dia da campanha. Segundo os analistas, entre eles, Paulo Sotero, do Brazil Institute, Woodrow Wilson Center, Obama esteve presente nas redes sociais por meio de representantes legítimos e motivados.

A política ficou [muito] mais interessante com as mídias sociais

Apesar do estrondoso sucesso da campanha de Obama, a política tempos atrás era considerada um tema “bode” para a grande parte do povo brasileiro. Chegamos a tal ponto que as notícias a respeito de mala de dinheiro, notas na cueca, contradições em discursos e troca-troca de partidos politicos passam tão inócuos por nossos olhos e ouvidos quanto aqueles filmes publicitários do Baú da Felicidade exaustivamente repetidos no SBT.

No meu caso, senti que faltava um eixo…aquele fiozinho de esperança para não me desconectar de vez de um tema tão importante para todos nós. E foi conversando com empresários, jornalistas e blogueiros; lendo muito e assistindo a entrevistas que conclui: vou mudar!

Tempos atrás eu almocei com Pedro Dória que relatou suas agruras em apoiar Gabeira no Rio de Janeiro, pouco antes de viajar para os EUA a trabalho e estudo. Meses depois, fiquei feliz ao ler sua materia “Obama cria rede social para organizar voluntários”, relatando “do meio do caldeirão” a vitória do presidente que melhor soube usar as mídias sociais.

henry_guitarhero3Quem explica de forma catedrática as bases desse cenário é Henry Jenkins, diretor do MIT Comparative Media Studies Program e autor do livro Cultura da Convergência: “Estamos numa época em que, ao mesmo tempo, somos audiência e autores. Antigamente fã era a pessoa que assistia de longe o seu ídolo, agora esta mesma pessoa participa, interage, contribui.”

Assim também foi com Obama e por isso deu certo.


Ações

Information

6 responses

5 11 2008
Marcel Mouta

Logo, alguns céticos sustentarão teses contra as mídias sociais, o que é bem normal hoje em dia. Assim como Obama, Gabeira também concentrou parte da sua campanha online e obteve grande sucesso em sua campanha, infelizmente perdeu por falar demais. É um bom indício para as empresa com foco em mídias sociais, quem sabe a Pólvora – se houver mudança nas leis – consegue eleger o Gabeira daqui à 4 anos?

5 11 2008
msoma

Marcel,

Obrigado por deixar seu comentário. Realmente estamos no início de uma mudança cultural. O importante é que as mídias sociais estão envolvendo vários perfís de pessoas e na arena da política isso tem um grau de importância ainda maior para todos nós. Abs.

5 11 2008
Mauro Segura

Mario. A sua frase “Foi a vitória do diálogo versus a imagem dura e impositora dos republicanos” está completamente conectada com a estratégia escolhida por cada candidato. As mídias sociais, hoje, formam o melhor exemplo de ferramentas de colaboração e diálogo. Como Marcel citou em seu comentário, tivemos um excelente exemplo recente aqui no Rio com a quase-eleição do Gabeira. Não existe dúvidas de que Gabeira e Obama criaram um novo formato de fazer campanha. Muito bom seu post. Aprendi bastante.

6 11 2008
msoma

Oi Mauro, todos nós aprendemos, diariamente. Abs.

6 11 2008
Como um homem virou Miss América? | Peixe Fresco

[…] que foi a estratégia de mídias sociais que construiu uma ‘aura’ a ele na […]

7 11 2008
Liderança e Missão de uma Empresa: a lição de Barack Obama

[…] post anterior eu havia falado sobre a inovação de Obama de Marketing ao usar redes sociais e a Web 2.0 para se promover (ele tem mais de 1 milhão de “amigos” no […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: